sábado, 9 de agosto de 2014

Mar de emoções...

Continuous rolling ocean wave animation with a peek of the sunset

69 comentários:

Legionário disse...

Bom Dia, apesar de esta onda ser bastante hipnotizante o tempo hoje não está para mergulhos...
As emoções são intermináveis. Quanto mais as exprimimos, mais maneiras temos de as exprimir.

eles andem ai disse...

Já toda a gente notou que chegaram os champignys. Quem diz champigny's pode igualmente dizer avecs, franceses d'Avintes que c'est tout la même chose.

O mês de Agosto perdia metade da piada sem a presença da Avecada. Ai está a fauna que migra sazonalmente para a Selva Lusitana

Je suis fatigué de mettre en place avec les émigrés!

Maria Eu disse...

Nunca mais há sol!! Raio de Verão xôxo!!

Beijinhos Marianos, Legionário! :)

JOSEPH DE FRANCE disse...

LE SOLIEI ENTRA PLAS FENETRES DENTRO
LÁ FORA LE CHOISEURS CANTAM ALEGREMENTE.

Casa de Pasto da Estação disse...

Sai uma dose de bifinhos com champignons e uma garrafa de verde tinto.

Legionário disse...

Bom Dia, ontem o Blog esteve a 0 de coment. hoje vamos ver como fica.
E hoje voltou o Sol...

joseph disse...

hoje vou de vacances

alor ici je trouve arrvoir.

(.=.) disse...

rica vida joseph!

Legionário disse...

Chegou Agosto e com ele chegaram todos os emigrantes deste nosso país. Vem tudo de malas aviadas do Luxemburgo e da França e é ver as praias cheias de Jean Pierres, Josephs e Moniques acompanhados pelos papás e pelas mamãs, mais conhecidos como cherries, como se tratam carinhosamente em público e em solo português. Esta é a altura que os avecs se dão a conhecer, que mostram o melhor que têm em si. E nós que tanto gostamos de os ter por cá! É vê-los a chegar ao estacionamento da praia em pleno aparato, nas suas carrinhas carregadas de lancheiras, chapéus-de-sol, tachos e panelas com o farnel, que cozido à portuguesa e bacalhau com natas é tudo o que dá vontade de comer a esta malta quando cá vem. Acomodam-se ali o dia inteiro nas toalhas e é vê-los e, principalmente, ouvi-los proferir palavras sábias em francês, esse idioma que é mais honrado do que a bandeira da pátria. Todo o santo dia fazem questão de gritar de 2 em 2 minutos com os putos que não param quietos. Primeiro, e a modos que ainda calmos, falam francês com os petits. Até aí tudo bem. Mas quando começo a vê-los repetir a mesma frase em francês 3 vezes seguidas e a elevar o tom de voz já sei que o típico "Jean Pierre vien ici" não tarda a passar a um nada bronco "JOÃO PEDRO a mãe já te chamou 4 vezes, sai já da água e vem para a toalha antes que eu vá aí puxar-te por um braço e comas uma galheta nesse focinho". E é aí que o grande segredo que ninguém desconfiava nem nunca ousou desconfiar é revelado: afinal, os traquinas dos Jeans Pierres, são na verdade Joões Pedros, bem ao estilo português, e as Moniques da França são, surpreendentemente, Mónicas de Portugal. Avecs deste país, se poisarem os olhinhos neste post tomem bem atenção às seguintes sábias palavras que aqui vou escrever: os vossos filhos são portugueses, entendem português e, tenho cá para mim (mas não passa de uma desconfiança minha) que em solo português eles esperam que vocês falem com eles em português. Mas posso estar enganado, não li nada que comprove cientificamente o que estou a dizer, não me debrocei tanto no assunto como possa parecer. Por isso, caso não levem à séria o conselho que aqui vos deixo, resta-me dizer-vos que vou continuar a rir-me cada vez que derem espectáculo na praia, que a malta gosta é de se divertir. Pela parte que me toca, só vos tenho a agradecer os bons momentos que me proporcionam. Não fiquem constrangidos, continuem a espalhar a vossa alegria e o vosso patriotismo, que ninguém aqui fica ofendido, só ficamos bem-dispostos.

JOSEPH DE FRANCE disse...

JEAM VIEN OCI..

VEM CÁ CARALHO PU LEVAS DUAS PUTAS.

Marquês de Pombal disse...

os franceses devem adorar esta época do ano, lá em France agora é um sossego!

Anónimo disse...

Acho que eles têm um dialecto próprio, talvez o "emigrantês", em que usam expressões que mais ninguém usa, como "aparcar a voiture" ou "encontrar uma praça para aparcar" ou "despejar a pubela" ou "estou a depressionar" ou ainda a célebre "rien, filho, rien". É de ir às lágrimas...

Gaston do Luchamburgo disse...

Viens ici Monique et chupa-me la pisse.

Picareta disse...

Monique?

Eu sou um ET.

A fila está grande, tende cuidado.

Onde pára o Sidónio? E o legionante?

Vamos agora almoçar.

cliente da quinta disse...

Olá Monique!

Fiscal disse...

algum penetra foi almoçar mais tarde...

tipo pensativo disse...

Porque é que os emigrantes portugueses (principalmente os de paises como França, Suiça ou Luxemburgo) quando estão de ferias em Portugal, têm sempre o hábito de falar com os seus familiares, principalmente as criancinhas, na lingua do país em que estão a viver o ano inteiro? Será que não gostam da nossa lingua? Será que não gostam das criancinhas? será que não gostam do nosso país?

Jacques disse...

Eu gosto da língua da Monique.
Lambe muito bem.

Legionário disse...

A herdeira da cadeia de Hotéis Hilton chegou na segunda-feira a Portugal e explicou que em Português apenas sabia dizer a palavra "obrigado".

Tendo em conta o cachê que recebeu, cerca de 250 mil euros por hora para carregar num botão que diz play, o mínimo que se exigia é que quando se foi embora podia ter dito na nossa língua "Muito obrigado seus grandes cromos por terdes sido comidos de cebolada "

cusco disse...

e a gaja foi paga com 50 % de farinha maizena!

PINANTE DAS 7 FONTES disse...

atenção que a Paris Hilton não levou só o cache. tb levou com o meu vergalho.

+ 1 PINANTE disse...

com tanta base que a moça usa o pinante das 16:39 ficou da côr de tijolo hehehe

enfarinhado disse...

a Paris foi vista nessa madrugada a apanhar sargaço na apúlia!

bem gozo me dava dar uma pinadela à paris disse...

que se foda a base...dava-lhe uma pinadela ah isso dava!!!!.

ECOS DA APULIA disse...

o banheiro clemente hoje tinha um olho à belenenses...acho que chegou muito tarde à praia, e deu como desculpa a moça americana que mete musica de outros dj.

tuga disse...

cá para mim o rebolinha também vai ficar com 1 olho à belenenses nos algarves!

Marquês de Pombal disse...

vai ser de olhar pras bolas de berlim heheh

frei taka disse...

Epá se ela não estivesse a fazer topless eu até conseguia conversar com ela! Mas assim… Não consigo! Ela está a falar e eu não consigo olhar para a cara dela! É quase uma obsessão!

GRANDE FODA disse...

Mais vale ir à casa de putas...

Anónimo disse...

por falar nisso...nestes dias atrás algumas trabalhadeiras foram detidas pelo SEF numa casa da especialidade, sabem aonde foi?
eu não!

lider disse...

xau..vou por os ditos ao sol.

Fiscal disse...

vai vai, cuidado com as mouras!

SEF disse...

11 agosto 2014
|


O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) efetuou, na noite de sábado para Domingo, uma ação de fiscalização a um estabelecimento de diversão noturna na área de Braga.

Foram identificadas 18 cidadãs estrangeiras. Uma das cidadãs foi detida por permanência ilegal em Território Nacional, tendo-lhe sido instaurado processo de afastamento coercivo. Cinco cidadãs estrangeiras foram notificadas a abandonar voluntariamente Portugal e uma cidadã notificada para comparecer no SEF a fim de esclarecer a sua situação documental.

A ação contou com a colaboração da GNR.

frei Xavier disse...

O tipo bebe um garrafão de tintol todos os dias.

NEL CHAPEIRO DAS 7 FONTES disse...

E PIMBA o frei xavier é o maior NO WC DELE

frei Xavier disse...

TODOS OS DIAS
...a cagar certinho.

BRISE disse...

MAS?
QUE grande PORCALHÃO é o FREI XAVIER
LAVE-SE!

Lucas disse...

Mais logo vou dar uma pinadela.

Legionário disse...

Todos os anos se trava, em Agosto, uma guerra civil no Algarve:

De um lado, o exército invasor: centenas de milhares de famílias oriundas das diversas regiões de Portugal a Norte das serras de Monchique, do Caldeirão e de Espinhaço de Cão. Munidas de armas temíveis - chapéus de sol, lancheiras, bóias, cadeiras, pára-ventos, bolas de futebol, brinquedos de praia, piscinas insufláveis -, as tropas que invadem o Algarve mal o mês de Agosto desponta semeiam o pânico entre os autóctones.

O soldado invasor distingue-se por uma insuperável rigidez de costumes.
Levanta-se às sete e meia em ponto para estar à porta do minimercado uns minutos antes de o mesmo abrir, para ser um dos primeiros na fila do pão que rapidamente atinge proporções capazes de rivalizar com a do restaurante mais 'in' de Nova Iorque.

Às nove em ponto, as famílias de invasores, habitualmente compostas de várias gerações e ramos da família atravancados em apartamentos T1, assentam arraiais na praia.
É este o momento de exibir armas, intimidando os locais não apenas com a dimensão das lancheiras mas também com os característicos berrros de "Ó Martim anda cá p'a meter protector!" (o invasor 'mete protector' em vez de pôr creme).

À uma da tarde, as tropas invasoras recolhem aos apartamentos para almoçar. Alimentam-se abundantemente de bens adquiridos no Continente lá da terra e transportados nos veículos de guerra, vulgo automóveis-carregados-à-pinha.

Segue-se um período de repouso que finalmente se assemelha vagamente ao conceito de 'férias' universalmente aceite - excepto que termina precisamente às quatro da tarde, hora a que, sem falta, as hordas de invasores voltam a pegar nas armas e regressam à praia, repetindo com exactidão militar a rotina matinal.

Às dezanove horas, novo êxodo de regresso aos apartamentos, onde se instala de imediato o caos dos banhos e da elaboração do jantar. O desgaste provocado pela esgotante rotina diária resulta em sessões de berros que caracterizam prédios de apartamentos inteiros ocupados pelo invasor.
As toalhas nas guardas das varandas, qual bandeira içada pelo conquistador para marcar o território invadido, são outro ex-libris deste movimento anual.

Após o jantar, as famílias saem uma última vez dos apartamentos para tomar café, única despesa efectuada no comércio indígena, e é se não tiverem trazido a máquina de café de casa, a fim de evitar a despesa e o contacto com os locais.
Um pequeno passeio completa a rotina do invasor, que cedo recolhe ao apartamento para uma breve noite de descanso, que irá terminar com o despertador a tocar de novo às sete e meia.

O algarvio detesta a invasão de Agosto e resmunga. Resmunga porque o invasor quer tudo para ontem, impacienta-se nas filas intermináveis e trata o algarvio como se este devesse estar grato por ser invadido, porque senão "morriam à fome", argumento capaz de despoletar violentas escaramuças.

O algarvio resmunga porque o exército invasor insiste em circular por todo o lado semidespido, obrigando os indígenas a conviver com protuberantes e descobertas barrigas suadas na fila do minimercado.
A arte de evitar que as ditas barrigas suadas se encostem ao indígena já deu origem a vários manuais de sobrevivência, best-sellers regionais.

Quinzé disse...

Aquelas tipas atiradiças estão em modo off.

tipo mais atento disse...

o Quinzé está a precisar de ir também pros Allgarves!

Anónimo disse...

o sr quinzé precisa é de 1 banho de agua fria!

Legionário disse...

Bom Dia, fim de semana prolongado (não é o meu caso)e certamente as praias atestadas de povo!

Se há coisa que me irrita é o conceito "família tuga" na praia.

Ou seja, o conceito de uma enorme prole, que inclui os pais, filhos, avós e se possível bisavós e ainda alguns vizinhos ou filhos destes.

Todos estes que se deslocam à praia num carro de 1950 e tal, onde só caberiam 5 pessoas no máximo, mas bem apertadinhos vão pelo menos 8. A bela máquina tem um ar-condicionado que funciona somente de vidros abertos. Como tal, é necessário ambientar a viagenzinha até ao destino com uma fantástica escolha musical que inclui os já batidos êxitos da Ágata, do Tony Carreira, do Toy, da Romana e por aí fora...

Além destes pré-requisitos que já referi, há mais uma coisa fundamental no conceito. A mala térmica!!! Ou geleira se preferirmos um termo mais abichanado.

A mala térmica/geleira é o requisito fundamental para identificarmos a família tuga. Não há família tuga que se preze que não leve uma malinha térmica/geleira para a praia. E estes objectos são verdadeiros chapéus dignos de um Houdini. De lá, saiem as coisas mais improváveis...

Há sempre o belo do suminho para as crianças e do vinho tinto da terra para os mais crescidos. Depois há as sandes das mais variadas coisas, seja leitão, courato, frango, panados ou o simples queijinho da serra e o fiambrinho do supermercado. Não pode faltar também o frango assado e a cervejinha.

Claro que depois há variações. Podemos encontrar desde as saladinhas com os legumes lá da horta, ao arroz de feijão (sempre tão fácil de digerir, não é?), da massa até à salada russa (esta última tão típica!).

A mala térmica/geleira da família tuga é sempre uma caixinha de surpresas....

Mas não nos ficamos por aqui. Além destas coisas e como no carro cabem sempre ainda mais umas coisinhas, ainda que não se tenha visibilidade pelo espelho retrovisor, também se levam as bóias, as braçadeiras, os colchões de ar que muitas vezes nem saiem da areia e as cadeirinhas para se sentarem.

Postos estes requisitos há apenas mais um a cumprir. Chegar bem cedo, por volta das primeiras horas da manhã, sujar muito e bem o local onde se abancaram e sair ao final da tarde.

É importante que a família tuga suje muito o seu sítio. Digamos que é assim uma espécie de delimitação do território. Há que se mostrar que ali estiveram muitos e comerem bem (e por isso a mala térmica/geleira) e por isso deixaram muito lixo. Porque deslocarem-se até um caixote é impensável, uma vez que isso os excluiria automaticamente da classe família tuga.

Além disso, é importante que se permaneça na praia o dia inteiro. Não respeitando minimamente as horas nas quais se recomenda que se evite a exposição solar. Que isto de se vir à praia é para aproveitar e por isso bronzear ao máximo, tipo porco no espeto, até ficar com um escaldão, marca visível do dito passeio. Essas coisas estranhas de que falam os outros, tipo raios UV e cancro não atacam a família tuga.

Família tuga que se preze é imune a essas modernices.


Drª Martirio disse...

Se me permites gostaria de acrescentar outras características da família "tuga" como por exemplo, conversarem (ao vivo e ao telemóvel) com decebeis elevadissimos, gritarem com as criancinhas, jogarem à bola de preferência em cima das outras pessoas (ou com raquetes) e, claro, o indispensável guarda vento.

Legionário disse...

Até se pode fazer uma tese de doutoramento :)
Os imigrantes, principalmente, são um bom exemplo da bela da família tuga e está fora de questão a utilização de protector solar, porque acaba por ser um souvenir da sua bela terra... e podem comprovar que estiveram aqui pelo belo do escaldão...
As festas de agosto, para além da praia, também são um ambiente interessante e a música pimba é presença constante nos carros dos nossos compatriotas que fazem a sua vida além fronteiras...
Concluindo, é um mundo a explorar :)

Tipo atento disse...

Não é preciso esperar pelo mês de Agosto para ver parolos em acção, embora seja verdade que neste mês há um acréscimo desse tipo de fauna.
Mas durante o resto do ano podemos observar o casalinho da moda a puxar ao azeiteiro por esses cafés, esplanadas, bares e restaurantes da moda, não esquecendo os shoppings, lugar de eleição dessa gentinha.

Legionário disse...

Também estou de acordo com o Tipo atento...

Aparecem também nas praias portuguesas outras famílias que, embora não sendo Tugas, fazem também figuras ridículas e deprimentes.

Julgam-se superiores a todos os outros, pensam que todos são mais parvos do que eles, julgam-se de uma casta superior, tratam um puto de dois anos por "você", estão sempre agarrados ao telemóvel de última geração, para dar um certo ar de alguém importante, e trazem carros topo de gama a pagar em 80 meses, cuja prestação não lhes deixa folga na carteira para oferecer um Magnum de amêndoa a toda a família.

A maioria das ”famílias Tuga”, são cidadãos cumpridores que trabalham ou têm pequenos negócios, que pagam os seus impostos, nada devendo ao Estado. O mesmo já não se poderá dizer do outro tipo de famílias pseudo-vips.

Labaredas disse...

Esses pseudo-vips vivem na esperança de aparecer num programa TV da coscuvilhice, tipo Big Brother.
Passam a vida no facebook e têm por hábito meter nojo em qualquer sítio onde pousem.
São uma espécie em franco crescimento e depressa se esquecem das origens humildes, fazendo por rejeitar a família que nunca saiu da aldeia.
Além disso, às vezes tentam falar com sotaque lisboeta, o que dá sempre merda da grossa.

Legionário disse...

Nada anima tanto o espírito português como o “sem-vergonha”, este verdadeiro hussardo do campo de batalha social, foi elevado à categoria de quase mítico herói nacional, muito se percebe de um país pela qualidade dos seus mitos e heróis, no que a Portugal diz respeito estamos pois conversados, o “sem-vergonha” é um sólido indicador daquilo que é este país.
O “sem-vergonha”, atravessa a sociedade de lés a lés, prospera e engorda, Portugal é dos mais extraordinários paraísos para os “sem-vergonha”, animados com os bons ares, alumiados com os solarengos dias sem par acima do equador, o “sem-vergonha” almeja o mundo o céu é o limite e a imaginação, não conhece limites o que torna perigoso o “sem-vergonha”, qual infante desconhecedor dos limites, enérgico o “sem-vergonha” nunca se queda se estar a congeminar futuras sem vergonhices, os mais anónimos vão passando impunes nas suas terrinhas, com as suas trafulhices sem vergonha, assegurando os seus lugares em círculos de amizades onde se insinuam por forma a conseguirem aceder a outros locais, e é vê-los em clubes de futebol, em associações e autarquias, aos mais famosos dos “sem-vergonha”, espera-os, a consagração, deputados, ministros, até presidentes da república.
Com os amigos nos locais certos, ou servindo-se dos amigos, a quem enfia o barrete sem qualquer pejo ou obstáculo moral, coisa que aliás desconhece, o “sem-vergonha” não sabe o que moral, desconhece a consciência e é completamente omisso ao conceito da honra e da honestidade.
Não conhecemos país em que o “sem-vergonha” se sinta tão à vontade como em Portugal, por mais que seja a sua falta de vergonha, por pior que seja a sua trafulhice, por mais hedionda que seja a vigarice que o “sem-vergonha” perpetre, não só tem defensores, como pessoas que até temos na conta de inteligentes e integras se desvelam no apoio ao “sem-vergonha”, aliás só num país absolutamente labrego e falho em honestidade se aponta mais facilmente o dedo e discrimina alguém por causa da sua orientação vocacional, do que pela falta de honestidade, esta subversão pervertida dos valores morais da honestidade é completamente estúpida. Chegamos ao cúmulo de ver insultar e agredir alguém por ter roubado um quilo de arroz, e ver exultar desculpar e à boa maneira labrega e subserviente tratar por “doutor” o maior dos, sem-vergonha.
É confrangedor assistir ao branqueamento que se faz do “sem-vergonha”, é absolutamente triste, constatar que ao “sem-vergonha” tudo se lhe permite, e que a atitude normal do cidadão comum é desculpar, compreender e procurar apoucar a sem vergonhice.

Til disse...

Bem,o pesssoal de Braga a marcar presença!Não devem ter mais nada para fazer...

Legionário disse...

Bom Dia e mais um dia de trabalho, ontem pelas 23:55 tivemos uma visita da Til, parece que estava de mau humor...:)

Sporting Clube de Braga disse...

Ser lampion é fodido.

lá vamos cantando e rindo disse...

cá para mim o gajo das 14:09 enganou-se no Blog com a m***de coment. que fez, pois aqui não há mouros!
e você é deve ser daqueles que são sócios do Braga que puxam pelos fdp da mouraria também!!!!!!!

Til disse...

Nóp...Nada de mau humor!Apenas lançando lenha para a fogueira e tentando perceber o funcionamento deste blogue!O pessoal de Braga é bem humorado;)
Boas noites...

frei Cabidela disse...

Tu é que vais para a fogueira.
Sois uns pecadores, tudo para o lume.

Legionário disse...

Bom Dia, ontem esteve uma tarde de praia maravilhosa nada de vento e até a água do mar não estava fria o que como sabemos é raro acontecer para estes lados!

No Al-Gharb disse...

-Bom dia, chefe.
-Olha o homem do Norte voltou. Então novamente de férias?
-Pois é. E desta vez quero ver se não falho a ida à tal casa da especialidade.
-Então olhe que na próxima sexta vai haver lá uma festa de arromba.
-Eheheh... vou arranjar maneira de me desmarcar da família. Entretanto, tire aí um fininho.

tipo pensativo disse...

à priori o Rebola virá das férias com uns Kilos a maissssssss

levantar ferro disse...

depois o home vai pro ginásio da moda para abater as bocks, os finos e afins!

frei Cabidela disse...

Lá estais vós a pegar com o homem, sois todos uns invejosos.
Ide mas é trabalhar e deixai-lo a gozar os allgarves.

Marquês de Pombal disse...

quem mais está de vacances?

sis disse...

sei quem está mas não posso dizer

QUE SINA disse...



ESTA VIDA É MESMO 1 BURACO:


1 GAJO NASCE POR 1 BURACO

COME POR 1 BURACO

FALA POR 1 BURACO

MIJA POR 1 BURACO

CAGA POR 1 BURACO

RESPIRA POR 1 BURACO

OUVE POR 1 BURACO

FAZ AMOR POR 1 BURACO

E, COMO SE ISSO NÃO BASTASSE, MORRE E É METIDO NUM BURACO

MERDA PARA OS BURACOS

PORRA ..ISTO É DEMAIS...!!!

frei Xavier disse...

Dantes este blog não era assim.

Legionário disse...

Bom Dia, está chaleur!

tipo pensativo disse...

aonde pára o cronista do Al-Gharb?

faneca disse...

e o cagão das dunas????????

tuga disse...

há novo post!

69 disse...

há novas putonas??