quinta-feira, 16 de março de 2017

A palavra é tempo, o silêncio é eternidade.

Resultado de imagem para imagens gifs de silencio
O silêncio é, tanto quanto a palavra, um momento vital de partilha de entendimento, e no entanto muitas coisas, não vale a pena dizê-las. E muita gente não merece que lhes digam outras coisas. Isto faz muito silêncio.

44 comentários:

Arturinho das moscas disse...

Nem toda a gente entende o valor do silêncio.

Marquês de Pombal disse...

O silêncio também fala, fala e muito!
O silêncio pode falar mesmo quando as palavras falham.

vizinha do 1º Dt disse...

Há dias em que as palavras não chegam - e em que o coração tenta ficar imóvel para não transbordar do nosso peito. Há dias em que a luz da rua não basta para nos fazer sentir vontade de enfrentar o mundo - e são dias em que apetece apenas um silêncio demorado que decidiu fazer uma pausa momentânea de tudo.

Há dias em que os sonhos parecem ser sonhos para uma vida diferente - e não a nossa - , quando são nossos, mesmo quando os queremos tanto, mesmo quando precisamos tanto deles para viver a vida que temos.
Há dias em que o reflexo que vemos no espelho parece vago, ausente, longínquo, obtuso, inerte e fugidio.

Há dias em que acordamos com uma angústia inexplicável dentro do peito. São dias em que temos vontade de gritar com o mundo, sem, na verdade, sabermos concretamente o que gritar. Mas a urgência queima-nos. A angústia alastra-se em nós. E precisamos desta revolta interna que, hoje, não aceita a vida como ela é - que, mais do que a vida não aceita sequer quem somos.

Há dias assim: em que as palavras não chegam - e em que o coração, no meio de tanto calor e de tanta urgência e de tanta rebelião interna, se esconde de nós próprios, incapaz de bater ao nosso ritmo. E o silêncio em mim resolve tudo...

Pinguim da Arcada disse...

enjoy the silence

Marquês de Pombal disse...

Há dias em que precisamos de um merecido descanso mental, e o silêncio é o melhor remédio!

Fiscal disse...

Está-me a parecer (com tanto pessoal ausente) que amanhã vai ser o jantar do...silêncio!!!

(º-º) disse...

É maravilhoso ouvir o silêncio.

Arturinho das moscas disse...

Maña estaremos catro ou cinco persoas na cea.

tipo + atento disse...

Tem imensa piada, tantos adiamentos do 1º jantar deste ano e depois a maior parte não vai aparecer, a montanha pariu um rato!

Legionário disse...

Eu penso que aquilo que faz com que nós continuemos vivos e capazes de criar é isso mesmo, uma inquietação constante. Sem ela não pode haver criação, quem não põe, sempre, tudo em causa, arrisca-se a ter uma vida interior de três assoalhadas...e o silêncio é bastante inspirador em tudo.

tipo + atento disse...

No silêncio da chuva vai chegar amanhã a Primavera.

Fiscal da meteoroloxía disse...

Despois dunha semana cálida chega a Primavera con chuvia e frío.

Pinguim da Arcada disse...

A noite vai estar boa para aquecimentosssssssssssss

Marquês de Pombal disse...

Só sei que vamos gelar nestes dias!!!

Tipo que viu disse...

O líder publicou no fb da street uma fotografia do último jantar.

Legionário disse...

Não comento nada sobre essa fotografia e nem sobre o último jantar, já que o mesmo no Blog não publicou nada, sim porque este é o espaço original e eu não gosto de imitações made in facefútil!!!

Fiscal do Vinho Verde disse...

Tem muita razom o confrade das 16:40.

Tipo atento disse...

Era das 16:40.

Pinguim da Arcada disse...

hehehe pois é o Leg. tem razão, de falsificações já anda este mundo cheio.

tipo + atento disse...

Por aqui por cima, ainda há vestígios da camada de neve que caiu durante a noite.

Legionário disse...

"Nunca aguento muito tempo numa casa. Passado uns tempos, começo a ficar cansado. Não sei o que é e, sobretudo, não sei até que ponto é que quando estou a dizer que estou farto desta casa, não posso estar a dizer 'estou farto de mim'." António Lobo Antunes

Arturinho das moscas disse...

E na noite de hoje pode nevar novamente.

(º-º) disse...

é 1 dado muito importante

Marquês de Pombal disse...

Por mim devia cair durante a noite paletes de neve por aqui, assim amanhã não havia transportes para o trabalho heheheh

Fiscal do trabalho disse...

Vai trabalhar, malandro!

UGT disse...

Olha olha, o fiscal do descanso a mandar bitaites!

Tipo que conhece o Jerónimo disse...

Ómigo, aqui o descanso é com putas e vinho verde.

Flor do Vouga disse...

Vamos brindar
Com vinho verde
Que é do meu Portugal
E o vinho verde
Me fará recordar
A aldeia branca
Que deixei
atrás do mar
Vamos brindar
Com um verde vinho
Para que eu posso cantar
Canções do Minho
que fará recordar
Tudo o momento de voltar
Ao mar.


Freguês habitual da Flor do Vouga disse...

Ó chefe, mais uma tigela de tinto.

outro mirone disse...

olha o gajo vermelhinho já está a ficar azulinho hehehe

Tipo que sabe disse...

Alguns confrades bem precisavam de beber uns copos...

Legionário disse...

E outros bebem por eles.:)))

Arturinho das moscas disse...

Está bom para pegar na bike e sair por aí...

Marquês de Pombal disse...

Só se for com umas ceroulas térmicas!!!

Cu-Cu disse...

Não se esqueçam de sábado para domingo, adiantar uma hora o relógio.

Pinante da avenida disse...

E não vos esqueçais, no sábado e nos outros dias, que é sempre boa altura para dar uma foda.

vizinha do 1º Dt disse...

Isto de sexo tem muito que se lhe diga!
É quase sua cabeça, sua sentença e por vezes a coisa baralha-se tanto que tão depressa se afirma que os preliminares são tudo e que uma mulher não é uma via rápida, como se jura a pés juntos que não há como rapidinhas!
Ora uma rapidinha com preliminares não é uma rapidinha, (é desejo, é tesão puro e duro) e aí a via rápida passa a auto-estrada sem portagens e tudo, mas há sempre quem aprecie a velocidade , a adrenalina que provoca, mesmo que aquilo tudo fique arrumado num piscar de olhos. Assim como há quem goste de coisas mais calmas, tipo passeio de domingo em que se disfruta da paisagem, se enche o olho, se vai parando aqui e ali sem destino. De uma maneira ou de outra não deixam de ser viagens, a gente vai-se e vem-se com mais grito ou menos grito, com mais estrada ou menos estrada, gostando ou não do passeio ele aconteceu. Gostos e habilidades não se discutem, uns gostam de acelerar outros nem tanto, uns gostam de todo o terreno, outros de ferraris, há quem prefira a bicicleta e, até o piso não é também todo igual.
Gostos não se discutem é certo e, como diz alguém que até não é esquisita, nem todos podemos gostar do amarelo senão que seria do verde!
O interessante seria gostar de tudo, ou pelo menos estar disposto a experimentar cores, matizes, tons, mas assim como assim, haverá sempre daltónicos!
E gostar por gostar, não me lixem, todos gostam de uma boa foda, toda a gente espera ter orgasmos e ficar satisfeito. O que por vezes acontece é que de tanto se querer a coisa não se dá. Culpa?? a culpa morreu solteira!
Como diz a minha amiga saia justa, o foder e o gostar tudo vai do começar, e o paladar é sabido educa-se!
Eu cá digo que foder todos fodem e até anda meio mundo a foder outro meio mundo, portanto o mais inteligente será mesmo assumir que se gosta, fingir para quê??
Depois disto é praticar, lá chegará a altura em que gemeu, gritou, gostou e acertou...na lotaria.
Quem não gostar....de chocolate, olha substitua por outra coisa qualquer, eu cá assumo que sou gulosa!

Legionário disse...

Em dois dias, cinco cidadãos, a maioria mulheres, foram assassinados, em contexto de violência doméstica, às mãos de alarves. É nossa a gente que morre.

Infelizmente, também é nossa a gente que mata. Somos isto. Um país culturalmente subnutrido. Analfabeto no que respeita a competências de cidadania.

Somos o país onde a violência doméstica é praga e quando dela se fala, apetece zurzir polícias indiferentes, procuradores negligentes e juízes de grande tolerância.Porém, é fácil disparar contra a Justiça. É quem está mais à mão. É o reduto do poder por onde passa aquilo que está criminalmente consumado.

Mas o País é bem mais do que um sistema judiciário. É a história de um Ministério da Educação, multiplicador de reformas, incapaz, incompetente, medíocre, governo após governo, que se preocupa com a Matemática, com o Inglês, mas que é indiferente à educação e formação de boas pessoas. É um Ministério da Saúde vaidoso, arrogante e medíocre que, governo após governo, desprezou a saúde mental, que encolhe os ombros aos apelos de psiquiatras e psicólogos que denunciam um País sem apoios para controlar psicopatas. É um Ministério da Segurança Social antissocial, que governo após governo, trata a protecção de menores, a monitorização de famílias em risco através de burocratas. É este país, infestado por todos estes alarves, que assiste, dia após dia, à chacina de inocentes. Morreram em Portugal mais vítimas de violência doméstica nos últimos dez anos do que vítimas de terrorismo em toda a Europa. Se para os ideólogos do securitários, o poder está de perna aberta, para a violência doméstica, o poder dá uns trocos por caridade. É este poder assustado e alarve quem está no banco dos réus de tantas mortes.

Por indiferença, por omissão, por ser herdeiro legítimo de Pôncio Pilatos. Quantas vítimas serão necessárias para que despertemos deste longo pesadelo?

vizinha do 1º Dt disse...

Gostei do texto anterior, e diria que a omissão de quem pode e não auxilia o povo, é comparável a um crime que se pratica contra a comunidade inteira.

Galego disse...

O problema da meirande parte do pobo é que non ten cartos para levar a vida como le gustaría.

Pinguim da Arcada disse...

Ò galego, que c*** de coment.

Flor do Vouga disse...

Silêncio Que Se Vai Cantar O Fado!!!

(º-º) disse...

Nas altas horas da noite boa
A cidade repousa da vida agitada
Na velhinha taberna
Escuta-se a voz, rouca e cansada

Um fado maroto se faz ouvir
No ambiente castiço e sonhado
Canta-o um fadista a sorrir
P’lo seu poema muito engraçado

Ali se fica até ao raiar do dia
Que chega de mansinho, e sem brado
Alguém na taberna que o artista ouvia
Pede-lhe um fado triste e chorado

E sem dó e sem pudor oferece o tal pedido
Cantando um de amor sem sorte
De uma paixão de passado sofrido
Que aguarda p'lo chegar da morte

A aurora entra naqueles corações
Ao som do último fado maroto oferecido
E os aplausos na taberna lavam as emoções
Da noite finda de espírito atrevido

Capitão Meireles disse...

À fadista!
Apesar de tudo, ainda somos de facto um povo maravilhoso...para o que se vê noutros países.